quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Expedição no Brejo Capitão Porfírio e Algodões

Prezados leitores,

Dando prosseguimento às publicações das expedições realizadas, a seguir está um resumo fotográfico levantados na Expedição Brejo do Capitão Porfírio e Algodões. As visitas ocorreram em 24 de fevereiro de 2011, com fotos de Lucas Figueiredo Baisch. A partir de indicações e pré-diagnósticos das áreas alvo de inventariação, assim como de relatos orais levantados por mim. Fomos acompanhados e guiados pelo senhor Valmir Conceição, um agente comunitário na região do Inchu.


No Brejo do Capitão Porfírio, percorremos um pequeno trecho da antiga estrada velha do telégrafo, onde estão situados os documentos arquitetônicos do início da povoação, que reportam ao início do século XX. Segundo relatos hegemônicos de seus moradores, a primeira casa seria da senhora Elza Batista. Um exemplar de arquitetura vernacular alpendrada com janelas de peitoril, caiação com paredes salientes, telhado de beiral em cachorrada (bica), sala de visitas a frente, interligada por um corredor de circulação até a sala de jantar, cômodos na sala de visitas, circulação e sala de jantar em bom estado de conservação. Nesse mesmo trecho documentamos várias edificações que curiosamente pertencem a uma única família - a dos Batista - quais sejam: casa de Oscar BatistaBeatriz Batista, de Marcimino BatistaAbílio Batista e Rosalvo Batista. Esse trecho da estrada é conhecido como Brejo de baixo.  No Brejo de Cima, poucos metros dali, documentamos a casa de Mário Guedes e José Cândido, onde procedemos o levantamento arquitetônico na casa do senhor José. A casa que viveu e pertenceu ao Capitão Porfírio Brandão não existe mais.

No povoado de Algodões, foi possível documentar duas edificações: o Casarão do Coronel Pedro Roque, situado próximo a Lagoa de Salinas, e uma casa singela no entorno da Lagoa dos Garrotes. As demais edificações de interesse no entorno estão em ruínas, descaracterizadas e em estado deplorável. No casarão, o programa construtivo denota imponência e riqueza, pois há salões sociais como: de festas e Capela anexa, sala de jantar, visitas,  circulação, enorme pátio, cômodo aos fundos (com relatos que serviam para a escravaria) e demais dependências, que evidencia o poder. Na verdade, trata-se de uma típica casa-de-sítio estudada por Gilberto Freyre,  ou fazenda. Quanto à casa singela, ela também denota o grau de importância social  e os modos de fazer e viver das famílias populares do nosso município.


- José Antônio de Sousa –

::::::::: COORDENADOR :::::::::


Brejo Capitão Porfírio:
-----------------------------------------------------------------------------------------------




























  




-----------------------------------------------------------------------------------------------
Algodões:
 -----------------------------------------------------------------------------------------------























-----------------------------------------------------------------------------------------------

Fotos: Lucas Figueiredo Baisch

Nenhum comentário:

Postar um comentário